Notícias
 

Preço médio dos imóveis reduz ritmo de alta em 20 cidades brasileiras

Em algumas das 20 cidades pesquisadas o aumento já foi menor do que a inflação, como em Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis.

 

O preço médio dos imóveis em 20 grandes cidades brasileiras que vinham subindo muito acima da inflação, reduziram o ritmo de alta. E fecharam 2014 com o menor reajuste em quatro anos.

O ano velho terminou com uma boa notícia para quem quer um apartamento novo. Os imóveis aumentaram menos. De acordo com o índice FipeZap, o aumento médio nas 20 cidades pesquisadas ficou em 6,7%. Quase o mesmo índice esperado para a inflação de 2014.

“Os eventos que aconteceram aqui, eleições, Copa do Mundo, o mercado, como toda a economia, teve uma retração muito forte e nós temos hoje na verdade um excesso de oferta de imóveis”, diz Cláudio Bernardes, presidente do Secovi-SP.

Em São Paulo, por exemplo, o estoque médio de imóveis historicamente era de 15 mil unidades. Agora está em 25 mil unidades.

O preço dos imóveis não caiu. Ele subiu menos. Isso é uma novidade porque nos últimos anos a gente vinha acompanhando uma disparada, com os preços subindo bem acima da inflação. Em 2011, o aumento foi de mais de 26%. Em 2012 e 2013, ficou entre 13 e 12%, quase o dobro do ano passado.

Para se ter uma ideia da alta, um apartamento que valia R$ 100 mil em 2009, reajustado pelo índice levantado pela Fipe, valeria hoje R$ 316 mil em São Paulo. Se fosse no Rio, a valorização seria ainda maior. O imóvel chegaria a R$ 364 mil. Se os R$ 100 mil fossem apenas reajustados pela inflação virariam hoje R$ 147 mil.

“Esse comportamento do imóvel nos últimos anos, de você ter ganhos expressivos, em pouco tempo não é um comportamento normal no mercado imobiliário. O mercado imobiliário é um mercado seguro, mas de médio e longo prazo”, afirma o presidente do Secovi-SP.

Agora, há uma estabilização. Em algumas das 20 cidades pesquisadas o aumento já foi menor do que a inflação, como em Porto Alegre, Curitiba e Florianópolis. E Brasília foi a única cidade que teve queda nos preços.

Para os especialistas, o mercado pode trazer boas oportunidades para quem for paciente.

“Os consumidores não precisam de tanta pressa para adquirir o imóvel. Eles podem gastar tempo e devem gastar tempo à procura de um bom negócio que atenda às suas necessidades pessoais, pensando no trabalho e no tamanho da família. E também no bolso”, explica Bruno Oliva, economista da Fipe.

Fonte: Jornal Nacional 

Edição do dia 06/01/2015

06/01/2015 21h10 - Atualizado em 06/01/2015 21h10

 
Total de notícias: 6
12
03
Caixa eleva de 50% para 70% limite financiado para imóvel usado
[+] saiba mais
16
01
Imóveis: Amsterdã, Madri, Dublin e Lisboa mais baratos que na Zona Sul, diz pesquisa
[+] saiba mais
05
02
Minha Casa, Minha Vida muda para atingir classe média
[+] saiba mais
16
11
Mercado imobiliário da Capital tem alta nas vendas
[+] saiba mais
22
04
Construções de Porto Alegre terão que apresentar relatório periódico de manutenção de imóveis
[+] saiba mais
22
04
Brasil é segundo lugar no investimento de imóveis comerciais
[+] saiba mais
 Listando de 1 até 6 no total de 6 notícias
 
 
1
https://www.facebook.com/SouzaJrImoveis
 
 
Não achou o seu imóvel?
 
Informe as características do
imóvel que deseja.
Vender meu Imóvel
 
Oferecemos o melhor suporte para o seu imóvel.
Atendimento Personalizado
 
Entre em contato com a gente
para que possamos ajudar.
 
Notícias
Simulação de Financiamento
Correspondente Bancário
 
Sobre o Corretor | Pesquisa Completa | Vender meu Imóvel | Imóveis para Venda | Notícias | Fale Conosco

CONTATO


FONE/ WHATSAAP: (51) 99585-1660/ 99265-4465

Mapa de Localização
CELULAR: 51 995851660 WHATSAPP: 51 992654465
contato@souzajuniorimoveis.com.br
 
24 horas a sua disposição!
Simulação de
Financiamento
Clique aqui e saiba mais!
 
 
www.souzajuniorimoveis.com.br © 2018. Todos os direitos reservados. Site para Imobiliarias
Site para Imobiliarias